terça-feira, 21 de agosto de 2012

Asterix

Gênero: Aventura
Ano: 1993
Fabricante: Infogrames

Quando eu tinha meu Master System, uma das fitinhas que eu sempre alugava era Asterix. Eu nem sabia de quem se tratava, nem de sua fama nos quadrinhos e desenhos animados, muito menos que se tratava de um personagem famoso da França, talvez o desenho animado mais famoso de lá.

Mas eu adorava o jogo, como talvez muitos de vocês. Era um jogo de plataforma carismático ao extremo, com muitíssimas fases inspiradas, músicas marcantes e gráficos lindos pro console. Os anos se passaram e vimos versões para vários consoles, mas nenhuma atingiu o potencial da primeira versão do Master. Nem mesmo essa do SNES que lhes trago hoje...

Asterix do SNES não é um jogo ruim, contudo. É um game de plataforma, estilo que consagrou o personagem e de onde ele nunca deveria ter saído.

O jogo tem vários lances que lembram o jogo do Master, como as poções, os romanos perambulando pelas fases, Ideiafix que surge às vezes e socos, muitos socos. Enquanto a versão do Master permitia escolher entre Obelix e Asterix, essa daqui só permite jogar com o magrinho ranzinza.

Claro, a história gira em torno do sequestro de Obelix, obviamente só jogamos com Asterix....Mas dá pra jogar de 2 jogadores, como na versão Master System, mas sem o gordão carismático...

O jogo tem gráficos bacanas, com um colorido bem típico do SNES, ele usa uma palheta de cores muito próxima de Super Mario World, dá pra notar bem isso nas fases de neve e nos efeitos das moedinhas no ar.

Bom, como todo jogo de plataformas, esse estilo precisa ter controles bons, ou o jogador vai mais se frustrar do que conseguir jogar alguma coisa. E nisso esse jogo peca por detalhes que poderiam ter sido polidos antes do jogo ter sido lançado...

São coisas talvez idiotas, mas é bom lembrar que, no mesmo estilo e com o mesmo personagem, a Sega criou um dos melhores jogos de plataformas da época e, porque não, de todos os tempos! Esse aqui chegou perto, se não fosse por dois detalhes: controles meio zuados e uma sensação de pobreza nos cenários...

Vou explicar! Os controles usam 3 botões: um pra socar, um pra saltar e um pra correr, o que gera saltos maiores apertando o botão de salto junto. O problema é que, correndo, Asterix pula DEMAIS, e como o jogo tem várias plataformas estreitas, conciliar pulos precisos nesse tipo de plataforma se torna uma tarefa árdua e estressante.Poucos jogos conseguiram unir essas duas habilidades de forma soberba e Super Mario World é um deles.

Sobre os cenários, achei tudo muito morno, com poucos detalhes, uma árvore ali, uma montanha ali, um morrinho acolá, alguns romanos e alguns corvos voando. SÓ! Podem reparar, os inimigos às vezes se resumem em apenas corvos voando...

Claro, isso muda nas fases adiantadas, onde inimigos mais chatos aparecem, mas mesmo assim, esse lance deu um ar meio vago ao jogo, diferente do carisma da versão Master System. Vai ver o designer de fases estava naqueles dias ruins...

Uma coisa que já ia esquecendo de comentar é sobre as músicas do game. São extremamente..........chatas. Poderiam ter incluído músicas melhores aqui, se trata de um jogo de plataforma alegre, caralho. Até a versão do Mega tem músicas mais caprichadas, esculacharam total nessa versão SNES.

Os itens coletáveis vão desde as famosas poções já citadas até moedas espalhadas pelos cenários (100 dão a famosa vida), ganchos de ouro (valem 3 moedas, se não me engano), capacetes e artefatos deixados pelos romanos ao morrerem, que aumentam a pontuação no final das fases e os eternos frangos, que valem energia extra.

Nada muito longe dos outros jogos do estilo, mas achei bacana esse lance de capacetes e moedas, isso deveria ter em todo jogo. Sim, eu gosto de coletar todo tipo de tranqueira em jogos de plataforma, sou um completo tarado por isso.

Bom, finalizando, eu insisto pra, quem curte jogos de plataforma, tentar esse jogo do Asterix, um jogo muitas vezes esquecido, mas que pode agradar quem gosta de um pula pula com muitos itens espalhados. Não é nenhuma maravilha da tecnologia como Mario e sua turma, mas cumpre seu papel de certa forma.

Créditos Review: Cosmão

Download: Clique Aqui!

2 comentários:

  1. Nossa, eu tinha esse jogo, joguei pra caramba ele, mas por causa da ausência de outros jogos.
    Cheguei a passar muitas fases, mas nem sei se estava perto do final do jogo ou não. Só sei que as músicas são chatas mesmo(principalmente aquelas fases que se passam em cavernas), a jogabilidade te faz cair em muitos buracos e o jogo é morto... muito morto... sem um pingo de carisma. A única coisa legal são os soldados que quando levam um soco nas fuças, vão pra cima, que nem nas animações do Asterix, mas mesmo assim, não é lá grande coisa isso...
    O jogo que mais se aproxima da sensação dele é Alladin, com a diferença que Alladin é um puta jogo bom e Asterix, uma merda :P

    ResponderExcluir
  2. Esse foi um dos jogos que mais joguei no Snes. E não foi por falta de opção: foi por que eu achava esse jogo muito bom. Não acho as músicas chatas, acho até bem bacaninhas. A jogabilidade não é ruim como você afirma. Creio que você discorre sobre ele com um olhar muito "mastersista". Tenho um Snes e um Mega Drive e, sinceramente, sempre gostei muito mais dos consoles e jogos da Nintendo. São lentos, mas são mais desenhados e cheios de vida.

    ResponderExcluir

Lembrando que as suas visitas e agradecimentos são o nosso incentivo, ajude-nos a divulgar o blog... A sua ajuda é muito importante para nós!! E não se esqueça de add nosso blog aos seus favoritos!