quarta-feira, 10 de março de 2010

Super Mario Kart

Gênero:Corrida 
Ano: 1992
Fabricante: Nintendo
Como todos sabemos, a série Super Mario Bros — nascida ao final de 1985, ano bastante próspero para a Nintendo — é um dos melhores, maiores e primeiros clássicos do gênero plataforma em side-scrolling da história, conduzindo os jogadores da época — quando ainda se jogava games como Space Invaders e outros clássicos da Atari — para universos novos, mundos originais, bem coloridos, de grande tamanho, brilho, mudando bastante a forma como os jogos de videogame seriam criados — e jogados — a partir de então. 

O sucesso foi imenso, grande mesmo! Super Mario Bros entrou para o livro dos recordes como o jogo de videogame mais vendido de todos os tempos, tendo por isso grande mérito pelo rápido sucesso do sistema Famicom ou Nintendo Entertainment System, também conhecido por nós brasileiros como Nintendinho, além de revitalizar a venda de jogos de videogame depois do infeliz “game crash” de 1983, período de estagnação e agonia da indústria de jogos eletrônicos.

O sucesso obviamente gerou inúmeros jogos novos. Para se ter uma idéia, contabiliza-se que, nestes anos todos, o personagem Mario já tenha aparecido em pelo menos 140 jogos (tanto dos games com o labéu do Mario quanto em jogos da franquia Donkey Kong, entre outros vários, como um antigo Tetris do NES). Acho que poucos (para não dizer nenhum) personagens conseguiram tamanha façanha na história dessa indústria que é por nós tão amada. Além da tradicional série de plataforma, Mario protagonizou diversos Spin-off’s, como Dr. Mario, Mario Tennis, Mario Golf, Paper Mario, Dance Dance Revolution: Mario Mix, Mario Hoops 3-on-3 etc. etc. etc… Pois bem, o alvo desta análise é um destes famosos Spin-off’s — talvez o mais célebre dentre todos — , Super Mario Kart.

Primeiro game da série de jogos de corrida baseados no famoso encanador da Nintendo, Super Mario Kart era o pontapé inicial de uma série de muito sucesso entre os jogadores de videogame, uma grande conquista do SuperNES, que perpetuou-se ainda em sistemas futuros da empresa, como o N64 e os portáteis GBA e DS. Neste jogo, os jogadores disputam corridas em pequenos carros ou go-karts, escolhendo um dos oito corredores disponíveis no game, todos personagens retirados da série Super Mario Bros.

O jogo notabilizava-se pelo uso da técnica de mapeamento de texturas chamado Mode 7, muito notável em games do Super Nintendo, que simulava efeitos tridimensionais de rotação nas pistas. Super Mario Kart é não apenas um dos melhores spin-offs do Mario, mas também um dos melhores jogos de Karts desenvolvidos para aquela época.

Vamos discorrer inicialmente sobre a parte técnica do game. Super Mario Kart foi um dos primeiros jogos que este desprovido e indigente redator teve a oportunidade — e o prazer, diga-se — de experimentar no Super Nintendo. Costumo dizer que o SNES é um sistema tecnicamente diferente para o seu tempo, e isso fez com que muitas pessoas criticassem as capacidades técnicas de seus primeiros jogos.

O console não conseguiu atingir o mesmo grau de popularidade de seu predecessor “Nintendinho”, aquele sucesso absoluto e quase integral do 8-bits da nintendo — o que seria realmente muito difícil, graças à agora forte presença de um digno e muito distinto rival, o Sega Mega Drive. O SNES era diferente tecnicamente porque tinha uma CPU de baixo rendimento, embora apoiada por poderosos chips de processamento de áudio e vídeo.
Essa característica se tornaria comum no desenvolvimento de hardwares de videogames futuros, mas era novo para os designers daqueles tempos de 16-bits. Isso resultou num baixo desempenho técnico dos primeiros jogos desenvolvidos pelas third-partys para o Super Nintendo, mas a limitação seria superada posteriormente, quando os desenvolvedores estivessem acostumados com a tecnologia do novo hardware Nintendo, utilizando seu potencial completo.

Embora tenha sido um dos primeiros games do Super Nintendo, lançado apenas dois anos depois do lançamento do novo console, Super Mario Kart era muito eficiente tecnicamente, e fazia fantástico uso da capacidade Mode 7 do aparelho, com efeitos de rotação de câmera que davam perspectivas muito legais nas curvas. Os personagens do game eram bem animados em seus carrinhos, com simples animações faciais nas batidas ou quando atingidos por uma arma dos adversários. O sistema com o mapa do circuito, o retrovisor, os cenários, pistas, enfim, o conjunto gráfico era muito bonito, polido, bem colorido. Enquanto os efeitos sonoros merecem uma nota média, decente, a qualidade das músicas que animavam as corridas era muito boa, divertida, o que era mérito tanto dos compositores Soyo Oka e Taro Panedo quanto do fantástico chip de som do Super Nintendo.

Falemos agora do gameplay, muito bom por sinal. O game podia ser jogado por uma ou duas pessoas, ambos os modos com uma visão em tela dividida, decomposta horizontalmente. No modo single player, a tela do topo exibe a corrida em si, a perspectiva imediata do jogador, enquanto a inferior pode mostrar tanto a perspectiva do retrovisor, indicando o que vem atrás do jogador, quanto uma visão panorâmica de todo o percurso da corrida, com o mapa da pista e a posição de cada corredor. No modo para dois jogadores, a tela inferior obviamente é usada para mostrar a perspectiva do segundo player.

Os modelos de jogo e a mecânica dos controles, sólida, sensível, consistente, faziam de Super Merio Kart um game divertido tanto para se jogar sozinho quanto com um amigo — mas é nos modos muliplayer que os jogos da franquia Mario Kart sempre se destacaram. Dois modos de jogo estão disponíveis para um jogador (single player): o primeiro é o “Mario Kart GP”, no qual o jogador compete contra sete corredores controlados pelo jogo. Aqui, estão disponíveis as classes de máquina de 50cc, 100cc, ou 150cc. Máquinas mais velozes resultam num nível de dificuldade maior. O jogador pode escolher uma entre três categorias: Mushroom Cup, Flower Cup, e Star Cup, além da Special Cup, que deve ser habilitada depois de se completar as três primeiras em 100cc ou 150cc. Cada categoria consiste em cinco corridas diferentes, nas quais o jogador deve obter a quarta colocação ou superior para avançar para a próxima. Para posições de quinto colocado para baixo, o jogador é considerado "ranked out". O segundo modo, ainda para um jogador, é o “time trial”. Aqui, o jogador corre em um circuito a fim de atingir um recorde de melhor tempo de volta ou tempo de percurso.

Para jogatinas multiplayer, havia três modos de jogo disponíveis: Mario Kart GP, jogado da mesma forma que a versão single player — porém, para avançar para a próxima corrida, apenas um dos dois jogadores deve classificar-se entre os quarto primeiros colocados; Match Race, que consistia em disputas entre os dois jogadores apenas; e o Battle Mode, onde os dois jogadores devem escolher entre quatro levels especialmente desenvolvidos para esta categoria, e tentar estourar os três balões que cercam o outro jogador, com itens como cascos de tartaruga ou cascas de banana. O último jogador a ter balões vence a disputa.

O game trazia uma bela variedade de artigos e itens para atrapalhar os outros corredores, como cascas de banana nas pistas; uma pena que permite dar um salto; os cascos de tartaruga para tentar atingir outros karts; o Cogumelo, que dá ao jogador um aumento de velocidade temporário; a estrela, com a qual, além da velocidade adicional, o seu kart ganha invencibilidade; os ovos do Yoshi; etc.

Os oito personagens disponíveis no game podem ser considerados melhores ou piores nas categorias velocidade, direção, peso, controle e aceleração. Quando dois carros de pesos diferentes colidem, o mais pesado será impelido a uma distância menor que o carro mais leve, que é mais facilmente atirado para fora da pista. Isso também depende do ângulo de contato da batida, já que todos os corredores perdem velocidade ao entrar em contato com outros carros ou com obstáculos do cenário. Os personagens disponíveis são Mario, Luigi, Princess, Bowser, a tartaruguinha Koopa Troopa, Toad, Donkey Kong Jr., e Yoshi.

Super Mario Kart sem dúvida está no meu top 10 dos melhores jogos para o Super Nintendo. É um jogo divertido, inteligente, com uma dificuldade que exige argúcia e agilidade do jogador, boa jogabilidade e um nível de replay altíssimo! O sucesso e aceitação de Super Mario Kart pelo público levou muitas outras companhias a imitar a bem-sucedida fórmula, colocando os mais famosos personagens de suas próprias franquias em diversos tipos de corrida ou jogos do mais puro e divertido teor racing. Dentre os vários jogos desse estilo que surgiram após Super Merio Kart (alguns de qualidade muito boa, outros nem tanto), podemos citar — e, por que não, recomendar (pra quem curte esse tipo de spin-off) — títulos como Sonic Drift (GameGear), Sonic R (Sega Saturn), Chocobo Racing (PSone), Crash Team Racing (PSone), Diddy Kong Racing (N64, NDS), Bomberman Kart (PS2), Lego Racers (PC, N64), Pac-Man World Rally etc.

Super Mario Kart é um daqueles jogos que alargaram, expandiram a boa fama do Super Nintendo e deram um grande reforço à “jogoteca” deste console — o videogame mais vendido dos 16-bits (com 49 milhões de unidades vendidas mundo a fora). É um game game ótimo, inteligente, de bom gosto, indispensável!



Créditos Review: Kazin Mage

Download: Clique Aqui!

Um comentário:

  1. ahh isso é que jogo sem duvida o mais divertido jogo de carte de todos os tempos e também um que marcou época sendo ele o primeiro jogo do mundo a ter reotação em 360º graus ^^ segundo minha velha revista ação games mario kart e demais.

    ResponderExcluir

Lembrando que as suas visitas e agradecimentos são o nosso incentivo, ajude-nos a divulgar o blog... A sua ajuda é muito importante para nós!! E não se esqueça de add nosso blog aos seus favoritos!