quarta-feira, 17 de março de 2010

Demon's Crest

Gênero: Ação
Ano: 1994
Fabricante: Capcom
Demon’s Crest narra novamente a saga de nossa gárgula querida, Firebrand. A história é a seguinte: a lenda diz que o mundo era dividido em dois reinos, o reino dos humanos e o reino dos demônios. Num belo dia (não, não é mais um conto de fadas, apesar de que o final pode ser "e eles viveram felizes para sempre…") 6 pedras lendárias caem sobre o reino dos demônios. Cada um possuia um elemento: Tempo, Céu, Terra, Fogo, Vento, Água, Coração… CAPITÃO PLANETA!!! (eh, num tem coração não, e nem o capitão planeta… mó sacanagem). Logo, pela ganância ao poder, os demônios começaram a guerrear entre si pelos Crests e uma guerra civil explodiu… No final das contas o Red Demon consegue 5 dos 6 Magical Crests, obstante a satisfação destes, ele queria mais e então desafia o Demon Dragon pelo Crest do Céu, ele vence porém é mortalmente ferido em batalha, e nisso, Arma, um demônio pega as Crests dele e este, servidor de um demônio mais poderoso que ele planeja entregar as pedras a seu mestre e este conquistar os dois reinos! Você, Firebrand, deve deter isto!

O jogo dá de praticamente 10 a 0 em Gargoyle’s Quest 2 de Nintendo, falando no aspecto de beleza gráfica! Acho que a única coisa que se mantém é a concepção e "alma" do jogo, pois é algo novo a se explorar, relativamente falando! Vamos começar pelos cenários, que são muito bem trabalhados. Para começar a primeira fase, aquela arena aonde sai o dragão da jaula é tudo de bom! A qualidade gráfica, o detalhe e o trabalho nos muros, é impressionante! Porém as coisas só melhoram mesmo, e com gosto (sim, você nem deve estar entendendo por que estou me derretendo pelos MUROS do jogo hehehe) quando se derrota o inimigo e sai para fora da arena. Você sairá em uma espécie de cemitério cheio de gárgulas como você e estátuas de hipogrífos! Repare na floresta ao fundo e tudo mais. No chão em que você pisa, nas rochas em que você agarra! Em tudo é muito bem feito! Uma coisa que eu não achei legal é que as fases são extremamente temáticas, um defeito de muitos games. Por exemplo Mario 64, aonde a fase é sobre o Arco-Íris, então a fase só se resume a isso! Isso acontece aqui também, aonde os temas são simples e são baseados e limitados a eles. Na primeira fase é uma espécie de cemitério e sim, você verá somente paisagens de cemitérios! É legal mas ao mesmo tempo não é. O ponto positivo é que não virará uma confusão visual, aonde geleiras, vulcões, cemitérios, cavernas e lagoas se misturam em um só ambiente mas é meio podre porque chega a ser enjoativo. Nada que uma avançada no game não melhore (duh, passando de fase você encarará novos cenários…).

Quanto aos personagens, sejam os inimigos, os chefes ou até mesmo você podemos dizer que esta parte está muito r0x. Começando por Firebrand, este conta com muitas novas animações em relação aos antigos games. Primeiro falando dos antigos movimentos, quando Firebrand usa uma magia ele exprime toda sua raiva naquela maldita gargalhada que ele faz, que chega a ser hilária! Firebrand também é capaz agora de grudar em novas superfícies das paredes, mas continue afastado dos espinhos! Como Firebrand ganhou novos movimentos novas animações foram feitas. É legal ver Firebrand de cara nova usando um estilo diferente de "corpo". O mais legal de todos, na minha opinião é o Ultimate Gargoyle (você vai entender o que é isso…) aonde suas cores são todas excêntricas! Ficou legal também aquele dash que é possível fazer com o Ground Gargoyle e por fim, Firebrand na água é surpreedente, o Tidal Gargoyles, apesar de que a maior parte das vezes que eu reparei nas animações eram quando ele estava chorando de dor pois eu "sem querer" encostava nos espinhos (risos). Os inimigos agora invadem novos horizontes. Passando das paredes, terra, ar e águas rasas para as paisagens mais geladas, florestas e profundas galerias aquáticas. Alguns inimigos que é legal de se comentar são aqueles que ou se ataca por trás ou usa o tiro Buster para passar por seus escudos! Também são legais aquelas mãos que saem da terra no cemitério! E por fim também comento aqueles Jesters na última fase, que saem dos vitrais góticos da fase! Já os chefes são únicos mas também repetitivos. Alguns você verá umas 2 ou 3 vezes já outros somente uma vez. Por exemplo o Hippogriff e o Arma que você verá umas 3 vezes assim como o Lobo que você verá 2 vezes. Agora alguns como o Flame Lord, o Demon Dragon e o Phalanx! Seria interessante eles terem feito mais chefes e repetido menos os que você ja abateu. Algo a se comentar é que cada chefe combina perfeitamente com seu ambiente!

A jogabilidade de Demon’s Crest, é claro, apresenta muitas melhorias em relação ao game anterior e, óbviamente, relembra muito, assim, se você jogou muito Gargoyle’s Quest 2, você não terá muitas dificuldades. Quanto a exploração do reino dos demônios esta se baseia em sobrevoar um vasto mapa, aonde novas locações são abertas conforme você avança em sua jornada, ou seja, você deve cumprir certos objetivos para abrir mais fases. Não se engane pensando que depois que passar da primeira, segunda e terceira fases, e enfrentar Phalanx você viu todo o jogo (aquele final com o Firebrand de braços cruzados é RIDÍCULO). Além das fases existem outras locações, mas não se anime pois são muito poucas. Por exemplo a casa de poções, a casa de magias e a casa aonde é possível se conquistar alguns G.P.s (dinheiro do game) tendo precisão ao destruir umas caveiras. O legal de explorar o mapa é ver como o chip Mode 7 pode ser atrativo.

Bom, agora quanto a exploração das fases, essa se baseia em visão 2D. Apesar de ser em apenas duas dimensões você terá a sua disposição diversas rotas e obstáculos. Firebrand tem poucos movimentos inicialmente. Você inicia a sua jornada com a magia Fire, é capaz de flutuar (porque se eu dissesse voar, você seria capaz de ir e vir, e Firebrand, por enquanto, é apenas capaz de ficar flutuando de um lado para o outro) com suas asas por quanto tempo você quiser, pois dispensaram aquela barrinha de Wings que havia nos games anteriores, que se chegasse ao final Firebrand começava a cair. Firebrand também capaz de se agarrar com suas garras nas patas às paredes e desfiladeiros, é possível dessa forma escalar as paredes e atingir alturas inalcançáveis através de simples pulos. Uma nova habilidade na forma normal de Firebrand é ele interagir com objetos em segundo plano, por exemplo estátuas, que com o botão A você destrói. Muitas Life Vessels (itens que aumentam seu life em um ponto) estão nestas estátuas e objetos de segundo plano. Não só estátuas, pois portas são abertas dessa forma, assim como paredes. Em sua forma normal Firebrand também é capaz de possuir outras magias, conhecidas de outras aventuras passadas, que são exatamente quatro, o Buster, a Tornado, a Claw e a Demon Fire. O Buster é capaz de detonar blocos que são obstáculos em sua jornada. A Tornado é capaz de criar mini-plataformas para que você alcance novas alturas. A Claw serve para você criar paredes aonde Firebrand é capaz de grudar em superfícies peculiares, tal qual os espinhos, por tempo limitado, assim como a Tornado. Já Demon Fire simplesmente é uma super magia de força descomunal! Além destas habilidades que vieram de jogos antigos, como já mencionado, há sempre algo novo!

E desta vez Firebrand é capaz de mudar de forma! São cinco formas diferentes. A primeira delas é a Ground Gargoyle, conquistada logo na primeira fase, após se vencer Arma. Sua aparência é a de uma gárgula sem asas e marrom cor de rocha. Com ela você é capaz de fazer um dash destruidor, capaz de desmoralizar qualquer obstáculo. A magia desta forma tem duas aparências, quando no ar, ela simplesmente voa direto, agora quando em solo, ela cai e sai deslizando fase a frente. A segunda forma é a Aerial Gargoyle, aonde Firebrand se torna capaz de voar mesmo, não só sobrevoar, e sim, voar, para qualquer altura. Sua aparência é a de um morcego azul. A magia desta forma é uma espécie de Slice, que sai cortando tudo (tipo Strider), só que em forma de projétil. Ela é capaz além de causar uma boa quantidade dano nos inimigos aéreos, cortar algumas cordas (na verdade são apenas as da quarta fase). A terceira forma de gárgula a Tidal Gargoyle, capaz de nadar. Sim! Antes Firebrand era limitado a terra e agora ele também é capaz de voar e nadar! O universo debaixo d’água é tão bonito quando qualquer campo de caveiras e esqueletos no reino dos demônios. Debaixo d’água você é capaz de, nada é claro, e atacar com seu cuspe d’água. Na água sua força é descomunal, mas na superfície você é mal capaz de matar um inimigo com este tiro! Com Tidal Gargoyle você poderá explorar galerias subterrâneas de fases que você destrinchou na moral. A quarta forma é a Legendary Gargoyle e ela é uma super gárgula que tem Life duplicado aonde você tem de apanhar duas vezes mais para morrer, fora a defesa e a força descomunais. Somente com esta forma será possível cruzar o útlimo estágio! Agora… a quinta forma, sim, a Ultimate Gargoyle! Ela é um super segredo do game, que vou lhes revelar: para conquistá-la é necessário ter todos as urns, vellums, gargoyles e acessórios e, após conquistar tudo isto, fechar o game. Desta forma será exibido ao final do encerramento um password aonde você estará com a tão buscada forma! Ela simplesmente tem todas as habilidades do game em uma só Gárgula, seja life duplicado, seja a capacidade de nadar, seja a capacidade de voar ou seja a capacidade de executar o dash.

Para explorar o game, você vai precisar de muitos elementos (urns? vellums? life vessels? que COISAS são essas?) para facilitar sua jornada e também tornar possível atingir novos horizontes neste game. Life Vessels são itens, vindos de Gargoyle’s Quest 2, que aumentam o seu life máximo, só que em Demon’s Crest são 17 a serem conquistados, indiferente a GQ2, que são apenas 5 (contando em ambos que você começa com 3 corações). As Urns são frascos aonde é possivel carregar poções curadoras como a Herb que cura HP, e a Elixir que lhe dará outra vida. Os Vellums são pergaminhos que lhe permitem carregar uma magia em cada um, num total de cinco Vellums a se encontrar, assim como cinco Urns. As magias vão de cura a ataque como Earthquake. Os acessórios, que são chamados Talismans são cinco e têm cada um uma função diferente, por exemplo, a Crown tem a função de se conseguir mais dinheiro, a Armor server para aumentar sua defesa, a Fang serve para aumentar seu ataque.

O som de Demon’s Crest não é muito bem elaborado. As grandes mudanças neste se deram por causa da evolução de uma plataforma a outra, um maior número de canais de som e tudo mais, garantindo assim a música uma qualidade muito melhor aos sons que eram emitidos pelo Nintendinho 8-Bit. Algo que melhorou foi a ambientação das músicas, que agora passaram para um novo estágio sonoro, tornando-se macabras em cemitérios, "áquaticas" (com uma sonoridade de ambiente áquatico) na água, rápidas em batalhas contra chefes e muitas vezes apenas o silêncio impera. Agora os efeitos sonoros, sim, estes receberam uma dosagem de anabolizantes para urso! Deixando aquele barulho medíocre das magias para algo "oussável".

O replay do game é enorme devido a quantidade de finais. A cada Crest que você pega é um final diferente, ou seja, você tem muito tempo para explorar todos os cantos do jogo. Fora o pequeno detalhe de que o game não é linear, tornando mais complicada a exploração das fases, afinal, você não sabe qual, quando, onde, porque e com o que em certa fase. Será necessário entrar diversas vezes na mesma fase para poder revelar todos os segredos desta.

Bom, termino dizendo que o game é simplesmente sensacional e além de remanescer aquela doce lembrança e vontade de jogar mais naqueles que chegaram a ver, e se divertir, com as próprios olhos você entenderá porque eu sou capaz de afirmar que este game marcou uma geração!

Crédito Review: Spider

Download (rom em Português): Clique Aqui!

7 comentários:

  1. Demon's crast e conserteza um dos melhores e mais famozos jogos do super nintendo um jogo que o faz ficar por horas tentando conseguir um objetivo sem se cansar seja derrotar um chefe de faze ou conseguir itens um exelente jogo junto duma exelente matéria.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Demon's Crest é um dos melhores jogos que ja joguei e jogo no pc ainda passo horas em busca de itens e etc e tentando derrotar o Dark Angel esse sim eh O BOSS do jogo,o resto comparado a ele eh fixinha

    ResponderExcluir
  4. COMO MATA ESSE DRAGRÃO O PRIMEIRO DO JOGO ?

    ResponderExcluir
  5. man so tenha o a dizer uma coisa ,esse game e SENCIACIONALLLLLLLLLLLLLLLLLLL
    pra mim e o melhor de rpg feito na historai do SNES.espero que a turma da capcom faça ele :D gosto muito só fançaso dele.apesar de quando vo tenta zerar sempre pensei que o ultimo mestre fosse phalanx,amis depois descobrir que nao e e sim o anjo caido^^ esse chefe pense no cara chato pra matar mais blog 100% masssa :D

    ResponderExcluir
  6. cara nao quero ser chato mas o final bosta aquele com duas crests so, nao e o firebrand que aparece e o arma, repare que as asas do cara que aparece tem penas(arma), enquanto firebrand tem asas de morcego blz ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. whahahahahahhaah
      È verdade...confundi o Arma com o Red Arremer é tristeza. E o primeiro final é bem bacaninha sim. Não li tudo, sendo assim, não sei se mencionou que o game tem 4 finais.

      Excluir

Lembrando que as suas visitas e agradecimentos são o nosso incentivo, ajude-nos a divulgar o blog... A sua ajuda é muito importante para nós!! E não se esqueça de add nosso blog aos seus favoritos!