terça-feira, 31 de março de 2015

Super Black Bass

Gênero: Simulador/Esporte
Ano: 1992
Fabricante: Hot.B
 

Espaços ao ar livre e o sons da natureza! Bem como cheiro de peixe! Se você curte estes tipos de lugares e é fã da pescaria então está aqui um grande jogo de pescaria para SNES.

Usando o monitor "Fish Finder", você estará sabendo as áreas em que há mais peixes e ha quantos metros eles estão, a parte difícil é fisgá-los.
Você terá a disposição vários tipos de isca, carretéis de linha e uma linha de alta tensão para pegar um dos grandes!
Além de lutar contra os peixes, você enfrentará a mãe natureza, a direção contrária do vento, as densas neblinas e poderosas tempestades.

Ao começar o jogo, você deve mover seu barco para a direção com o botão "A" em que tiver mais peixes, há um monitor que mostra isso. E então agora que você escolheu o lugar, pressione "Y" para se ter a imagem em primeira pessoa no barco, aqui você pode se movimentar para esquerda ou direita, aperte "X" nessa tela para escolher o tipo de isca a ser usado e "A" para confirmar. Ao escolher o melhor lugar pressione "A", note que a barrinha vai encher, pressione "A" novamente quando estiver no máximo para jogar mais longe, pronto você jogou a isca, agora observe os metros que estão na água e se você quiser puxar mais o anzol, pressione "A".
E quando fisgar, é só alegria! Quanto mais peixes de maiores tamanhos você pegar, mais longe chegará no torneio.

De resto, o jogo conta com várias opções que deixam a pescaria bem mais interessante. Possui gráficos moderados, o único porém é a demora pra pegar um peixe. Mas ainda assim é um dos poucos jogos de pescaria para SNES, senão o único, mas muito interessante e cheio de recursos, teste suas habilidades de pesca e tire um sossego ao ar livre.


Créditos Review: Hobby

Download: Clique Aqui!

domingo, 29 de março de 2015

Curiosidades: Super FX integrado ao SNES


Sabia que o Super Nintendo esteve a ponto de ter o chip Super FX integrado?

O poder poligonal do chip Super FX é famoso desde o início dos  90, por permitir impressionantes efeitos e objetos tridimensionais no SNES, em jogos como Star Fox, Doom e Yoshi’s Island.

Desenvolvido pelo engenheiro britânico Jez San, este milagroso chip especial aumentava enormemente as capacidades do console e, segundo seu criador, houve negociações com a Nintendo para que o chip pudesse ser integrado na versão americana do Super Famicom, a qual se encontrava a poucos meses de ser lançada no ocidente, ideia que neste tempo estava em andamento.

No entanto,infelizmente, a Nintendo optou por não incluir o chip em seus cartuchos, para poder manter o preço do console, porquanto, o chip integrado faria subir o seu custo.


Na minha opinião, creio que teria sido genial se o SNES tivesse saído de fábrica com o Super FX, isto significaria que mais companhias teriam a oportunidade de programar seus jogos  aproveitando as capacidades desta tecnologia, e, assim, haveria elevado significativamente o nível de qualidade dos jogos, como os supracitados acima.

GBA to SNES Adapter (AD Adapter)


Nunca nos deixamos de fascinar com o número crescente de novos hardwares focados nos jogos de vídeo games retrô, como flashcards que permitem reproduzir arquivos ROMs no console e até mesmo dispositivos que fazem o oposto, por assim dizer, reproduzir os seus cartuchos antigos em um PC através de um emulador. Mas agora a novidade é um cartucho de SNES, na verdade é um adaptador, que permite jogar Game Boy Advance em seu console 16-bits
.
Um pouco difícil de acreditar, considerando que o SNES foi lançado em 1990 e GBA mais de 10 anos mais tarde. Mas trata-se de um cartucho que em seu interior tem o que é necessário para fazer este tipo "magia" acontecer no hardware do console.

Quanto à compatibilidade do dispositivo com os cartuchos de GBA, encontra-se em processo de teste, haja vista a biblioteca enorme do portátil. Outro detalhe técnico a considerar é que este adaptador requer o uso de um cabo especial A/V (incluído) e não pode usar cabo de vídeo composto regular que usa o SNES, ou seja, praticamente este adaptador usa a fonte alimentação e os controles do Super Nintendo, sendo o o trabalho pesado (processamento) para rodar os jogos do GBA fica por conta do próprio adaptador.
(GBA to SNES Adapter, internamente)

Este grande dispositivo significa um avanço para a cena retrô, uma vez que abre  portas para nova ideias nesse mesmo estilo.Jogar clássicos do GBA com o controle perfeito de SNES já faz vale a pena.


Se quiser adquirir um, você pode comprar por $29,99 (USD), através do site Tototek.com.

Hyperkin: Pixel Art Controller


Vivemos em um grande momento, temos um monte de alternativas na escolha de nosso controle, mas, talvez, por vezes, a variedade pode ser um tanto  excêntricas.

Hyperkin, criador de maravilhas como Retron5 e SupaBoy, nos traz este controle atraente para PC e MAC com visual quadriculado que lhe permite jogar da melhor maneira, os seus jogos favoritos em seu computador. O problema é que, a julgar pelo formato pouco ergonômico, não acho que os jogadores vão passar muitas horas antes de terminar com as mãos completamente doloridas. 

Não me entenda mal, a ideia é ótima, mas é que tenho a sensação de que não iria dar bons resultados depois de um tempo de lutas intensas em Street Fighter II ou Mortal Kombat, por exemplo.

Se você quiser, está disponível no eBay e em seu site oficial.

Zero the Kamikaze Squirrel

Gênero: Aventura
Ano: 1994
Fabricante: Sunsoft

O game começa após Ektor e Zero serem vencidos novamente por Aero no jogo Aero The Acrobat 2. Derrotados, ambos voltam para a base, quando Zero recebe uma carta de Amy dizendo que um malvado madeireiro está destruindo a floresta.

Ektor diz a Zero que sua missão é ficar com ele para continuar os planos de dominação, mas o esquilo diz que a família e seu lar vem em primeiro lugar.

Zero possui uma série de movimentos. Pode-se atacar os inimigos com Shurikens (aquelas estrelas de ninja) que se coleta pelas fases, também dá para atacar usando o pulo duplo. Além do mais, o esquilo pode voa. Para isso, basta apertar três vezes o botão A enquanto pula ou cai.

Além das fases tradicionais de plataforma, existem mundos onde você pilota barcos. Nessas fases será necessário desviar de troncos, rodamoinhos e outros obstáculos, o que garante maior diversão.

Existem muitos inimigos nas fases, mas isso não é muito problema. A primeira fase por exemplo, é possível passar metade dela voando. É mais fácil desviar dos inimigos do que atacá-los. Mesmo se tratando de Zero, nota-se várias semelhanças com os jogos de Aero, especialmente com o segundo.

Para quem não gosta de jogos difíceis, esse é mais um prato cheio: O jogo não possui limites de continues. Além do mais, algumas fases são realmente curtas, como as duas primeiras na praia.

Zero the Kamikaze Squirrel é um bom jogo para quem gosta de plataforma. Também é legal a ideia de jogar com um dos vilões da série Aero The Acro-Bat.


Créditos Review: Alexandre

Download: Clique Aqui!

Super Mario World CD - MSU-1


It's me, Mario! Chegou a vez de Super Mario World, depois que vários jogos do SNES receberam a sua versão com a trilha sonora remasterizada com qualidade de CD, receber um merecido tratamento em sua trilha, utilizando-se da capacidade do chip MSU-1.

De início, fica difícil imaginar que seja possível melhorar as músicas que já são clássicas, e, para muitos, nunca uma versão remixada superará a original, talvez, pelo quesito nostalgia que, muitas vezes, fala mais alto.

Pois bem, jogar o Super Mario com as suas músicas originais todo mundo já deve ter jogado por zilhões de vezes, assim, se a nova versão não conseguir superar a antiga, ao menos terá uma oportunidade de se divertir com uma trilha diferente, dando mais um motivo para finalizar o game mais uma vez.

O jogo conta com versões remixadas e orquestradas de vários temas clássicos, sempre tentando deixar o mesmo feeling da trilha clássica.

Tudo isso é possível graças ao desenvolvimento  do chip especial MSU-1 - feito por Byuu -, que possibilita inserir vídeos e áudios em qualidade de CD aos jogos de SNES. Esta versão modificada de Super Mario World foi desenvolvida por Con.

Confira o resultado:

Você pode jogar no diretamente no Super Nintendo, desde que possua o flashcard SD2SNES, ou no PC, utilizando o emulador BSNES.

Download (rom patcheada): Clique Aqui!
Download: (emulador bsnes v.70): Clique Aqui!

Para jogar no SD2SNES, basta descompactar e copiar a pasta para o cartão SD. No SNES, vá até a pasta copiada no SD e abra o arquivo "smw_msu1.sfc".

Para jogar pelo emulador BSNES, descompacte e abra o arquivo "smw_msu1.sfc" presente dentro da pasta descompactada.

Outros MSU-1 Hacks:
Donkey Kong Country 2 CD
Mega Man X CD
Rock N' Roll Racing CD
The Legend of Zelda - A Link To The Past CD

Battle Cars

Gênero: Corrida
Ano: 1993
Fabricante: Nanco

Battle Cars é um jogo para aqueles que gostam de ação em uma pista de corrida. O jogo lembra um pouco Biker Mice From Mars, que tem um estilo bem parecido.

Battle Cars, a princípio, é um jogo de corrida normal para Super Nintendo. Onde você escolhe seu carro (tendo três como opção) e em seguida escolhe a cor. Depois vem a corrida, e aí que o bicho pega. O seu carro vem equipado com três tipo de armas: Mina, Grana e Míssil. E todo esse armamento podem ser melhorados no decorrer do jogo, dependendo do número de créditos ganhos nas corridas.

Há também a possibilidade de tunar o carro com o dinheiro ganho nas corridas. A jogabilidade é bem simples e dá um ar superficial no jogo. Pois as corridas acontecem "do nada" e pelo que parece não segue um padrão. Como víamos em Top Gear, por exemplo.

Em algumas pistas, aparecerão corredores que te desafiarão para um racha. Eu nunca consegui destruir o carro de nenhum deles (e acho que nem dá) mas o objetivo é vencê-los na corrida para faturar uma grana legal no fim da corrida. Ao vencer as corridas, você viajará o mundo todo enfrentando os mais perigosos dos circuitos. O jogo ainda conta com um versus mode, que na verdade, não tem nada de impressionante ou diferente do que estamos acostumados.

O jogo conta com gráficos legais e o estilo do jogo é bem bacana, no entanto, não podemos esperar muito de Battle Cars em questão de trilha sonora. E, algumas vezes, as corridas podem parecer que são confusas.

Mesmo assim, o jogo é aconselhado para aqueles que tiraram sua carteira de habilitação em Top Gear. O jogo é simples, porém uma experiência em Biker Mice From Mars e Mario Kart no battle modo é necessário.



Créditos Review: Super Wallace

Download: Clique Aqui!

X-Men VS. Street Fighter

Gênero: Luta
Ano: 1997
Fabricante: Hacked

Para aqueles que não acreditavam, aqui está ele. X-Men vs. Street Fighter, famoso por ocupar vários fliperamas em botecos por ai e ser uma série bem sucedida, aparece no Super Nintendo em uma versão hack. Um tanto quanto estranha, mas tá valendo...

Como se pode ver, da tela inicial até a seleção de personagens, o jogo apresenta ótimos gráficos. Mas infelizmente não é assim na hora da luta. O engraçado é que na hora de escolher um herói (no modo single player) você indiretamente escolherá quem será o seu adversário também. Por exemplo, quando eu escolhi jogar com o Cyclops, o cursor da máquina moveu-se para o Chun-li.

Na hora da luta a tristeza começa. O jogo é muito, mais muito lento. Os personagens se movimentam com dificuldade e dá para ver eles tipo, se desfazendo. Há a possibilidade de ser mandar magias e especiais. Mas tudo muito limitado. Uma coisa para se ressaltar, entretanto, são os ótimos gráficos que o jogo apresenta. De qualquer forma, essa versão hack para SNES me surpreendeu muito!

O jogo não passa nem perto do que víamos para Playstation, pois o Super Nintendo não possui technologia para suportar um jogo assim. Todavia, eu por exemplo, nunca esperava jogar esse "clássico" para SNES.


Créditos Review: Super Wallace

Download: Clique Aqui!